9 01 2012

aquilo que dizem das imagens dizerem mais que palavras, num sentido redentor, silencioso, solene, só pode querer significar o assistirmos ao mesmo evento, à mesma imagem animada, juntos, em tempos em que as palavras são tudo aquilo que (nos) destrímos, como a mulher que vinha dentro do carro com música abafada e melosamente alta e, junto ao rio, sai de tacões gigantescos pelo passeio fora, largando um ramo de rosas que se espalha no ar até sabermos que cai no rio, naquela imagem em câmara lenta com a ondulação do rio contra a pedra, que não chegamos a ver.

Anúncios

Acções

Information

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: