19 03 2011

hoje era o dia em que te trazia pisa papéis pintados por mim, e nos restantes dias via que o tinhas na tua secretária , juntamente com as minhas fotografias, em grande destaque. pensamos sempre que há momentos que a vida não pode roubar. ou a morte. ou os desastres e as guerras, e as torturas, porque estão na nossa essência.

engano redondo e rasgado. não são as pessoas roubadas nem os momentos, porque nem os temos, nem os somos. às vezes já é difícil contarmos com o que somos, quanto mais com o que os outros são. esquecemo-nos, de propósito, que temos que saber que mesmo essas pessoas, como um pai, são algo. mesmo que não saibamos o quê, nem quando.  e mesmo que sejamos algo que nunca mais aquela pessoa vai ver, temos que ter bem a consciência de que nos basta sermos o somos e o que conhecemos, com quem nos deitamos e levantamos todos os dias, com a voz sempre igual dentro da cabeça. e essa voz, é que finalmente temo perder.

Anúncios

Acções

Information

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: