1 03 2010

É treta o seguinte: “estás sempre a pensar que te vai correr mal, a contar que vai correr mal, não pode ser, porque aí corre-te mesmo mal e não podes ser tão negativa e como é que sabes isso que estás a dizer se ainda nem tens a resposta?”

é paradoxal, porque se eu disser “mas eu sei”, então o conhecimento disso ou bem que serve ou bem que não serve pra alguma coisa. a adicionar outros escolhos, e se esses nos fecham portas, esses que nos ensinaram o que eram portas, quem mais nos vai abri-las?

no entanto, retomando, eu sei de certas coisas. eu conto com certas coisas negativas, eu repito-as, eu atormento as pessoas com elas. mas há sempre uma possibilidade, mais do que sorte, administrativa pelo menos. há sempre uma comparação razoável a fazer, que nos faça entrar e achar que podemos ter ou aquela sorte ou aquele resultado.

mas eu sei. eu sei que os padrões estão há muito definidos. e eu sei que tento, mesmo que seja para mostrar as mãos vazias: as mãos de amar: e amar(r)am-mas.

Anúncios

Acções

Information

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: